terça-feira , março 26 2019
Home / Geral / Gatos e gravidez combinam sim!
Eu, grávida de 5 meses do Zion e Lua.

Gatos e gravidez combinam sim!

Antes de ficar grávida já tinha ouvido falar, por alto, sobre Toxoplasmose mas nunca tinha me interessado muito pelo assunto. Só sabia que era o terror das grávidas e que gatos eram vistos como grandes vilões da história por pessoas desinformadas.

Aqui em casa temos 5 gatos. E chegou um momento que precisei me informar melhor sobre este assunto. Afinal de contas, fiquei grávida!

Conversei com minha obstetra, com veterinários, com protetores de animais, com pessoas de confiança, pesquisei muito e uma coisa estava muito clara: não colocaria em risco minha saúde e a do meu filho e não tomaria nenhuma decisão precipitada por ignorância.

Assim que descobri a gravidez, ouvi de algumas pessoas próximas: “Agora você vai ter que dar esses gatos”. “Esses gatos vão ter que sair da sua casa”.

Na verdade, essas pessoas não eram tão próximas assim, se fossem, jamais falariam isso pra mim. Dar meus gatos nunca foi uma opção. Eles são minha família.

 

Eu, Yogui e Zion na barriga.
Eu, Yogui e Zion na barriga.

 

Foi o Yogui, o primeiro gato que adotei e meu fiel protetor, que me “avisou” que eu estava grávida. Ele passou a me seguir de uma forma fora do comum, e na primeira oportunidade, encontrava uma maneira de ficar encostado na minha barriga. Por vários dias ele fez isso. Colocava as patinhas em cima da minha barriga aplicando Reiki (sim, gatos aplicam Reiki! 🙂 ) e queria dormir encostado no bebê que já morava dentro de mim sem eu suspeitar. Logo depois fiz o teste de gravidez e estava confirmado, tinha um bebê morando na minha barriga!

 

Yogui aplicando Reiki na minha barriga, grávida de 3 meses.
Yogui aplicando Reiki na minha barriga, grávida de 3 meses.

 

Encontrei uma entrevista sobre Toxoplasmose no site da Luisa Mell, com a ginecologista Mariana Amora Cocuzza (CRM 100748) e com a veterinária, presidente da Ong PEA e que teve um filho há algum tempo e rodeada de gatos, Gabriela Toledo. Compartilho com vocês a entrevista abaixo:

“A toxoplasmose é uma infecção causada pelo parasita Toxoplasma gondii. É uma doença que costuma passar despercebida em pessoas sadias, mas é grave em pacientes imunossuprimidos e nas grávidas.” diz a ginecologista Mariana Cocuzza.

O risco da toxoplasmose na gravidez ocorre naquelas mães que nunca tiveram contato prévio com o parasita, possuindo sorologia negativa para toxoplasmose. Estas são as gestantes sob risco, pois a toxoplasmose congênita ocorre quando mulheres adquirem o Toxoplasma durante a gravidez.

Muitas pessoas associam toxoplasmose a gatos. Por quê?Os gatos são os únicos animais que, se contaminados com o Toxoplasma, passam a eliminá-los na fezes, servindo como fonte para contaminação do meio e de pessoas. Nos outros animais, o parasita fica alojado e adormecido nos músculos, motivo pelo qual a ingestão de carnes cruas é o principal fator de risco para contaminação pela toxoplasmose.

A veterinária Gabriela Toledo esclarece:

Apenas 1% dos gatinhos transmite a toxoplasmose e, para isso, eles precisam estar doentes e, principalmente, na fase de eliminação dos oocistos.

Para que você se contamine com o toxoplasma, você precisa comer a forma infectante, que nada mais são que os ovinhos germinados presentes nas fezes do gato contaminado. Ou seja, você precisa que as fezes do gato tenham contato com sua boca. E tem mais, as fezes do gato infectado precisam ter contato com sua boca depois de 48 horas que o gato tenha defecado, caso contrário, os “ovinhos não germinam” e o ciclo não se completa!

Gabriela Toledo (veterinária e presidente da Ong PEA), seu filho e seus gatos. 

 

Para que não reste dúvidas, Mariana Cocuzza, ginecologista, elaborou esta lista de cuidados que as gestantes devem ter:

  1. Sempre lave bem frutas e verduras, especialmente se vai consumi-las cruas.
  2. Certifique-se de cozinhar bem todas as carnes, já que o parasita pode ser encontrado em carnes cruas ou malpassadas. Lave bem as mãos depois de mexer em carnes cruas. 
  3. Se você gosta de mexer com plantas no jardim, é sempre bom usar luvas e depois lavar bem as mãos, já que pode haver contato com fezes de gatos no solo. 
  4. Peça alguém para limpar diariamente a caixinha de areia com fezes do gato. Tente não entrar em contato com as fezes do felino.
  5. Alimente-o apenas com rações; nunca deixe-o comer carne crua.
  6. Evite deixar o gato sair de casa, para que ele não corra o risco de contrair o parasita. Portanto, grávidas que têm gatos podem manter o contato normalmente com os animais, seguindo as orientações acima e sempre lavando as mãos após estarem com eles.

 

 

Desde que descobri a gravidez, parei de limpar a caixa de areia deles. Diego (meu namorado) e Priscila (minha cunhada) são os responsáveis por essa tarefa. Além disso, nossos gatos só comem ração e não têm acesso a rua. Tomo os cuidados necessários com a limpeza de frutas, legumes e verduras e não como carne crua. Lavo sempre as mãos e eles continuam sendo (e sempre serão) meus filhos felinos.

 

E você? Está grávida e também tem gato? Compartilhe sua história e o que você faz a respeito disso.

Por mais amor e menos preconceito.

 

 

Rafaela Ganzenmuller

 

 

 

 

Fonte entrevista: http://luisamell.com.br

 

 

 

 

 

 

Sobre Rafaela Ganzenmüller

Rafaela Ganzenmüller
Fundadora do PranaZen, Rafaela Ganzenmüller é empreendedora social, nômade digital, terapeuta alternativa, leitora de aura, pranaterapeuta, reikiana, artesã, escritora e mãe do Zion. Atualmente vive num povoado na Chapada dos Veadeiros com sua família. Atende com as terapias a distância, presencialmente em GO e RJ e em festivais de música, sempre de forma empática, sensível e holística. Rafaela entende e valoriza o poder do equilíbrio das energias.

Veja Outros

12 Leis da Gratidão que vão mudar a sua vida

1. Quanto mais você está em um estado de gratidão, mais vai atrair coisas pelas …

2 Comentários

  1. Adorei sua reportagem. Estou grávida de 22 semanas e confesso que fiquei com medo no começo, mas nunca, jamais e em hipótese alguma me passou pela cabeça em dar meus dois filhos Pepper e Tony. Adotei eles há 3 anos e nunca me arrependi, são uns doces de gatinhos e mega ultra carinhosos. Não concordo com a ideia de algumas pessoas pensarem que por causa do bebê precisam se desfazer dos bichos, afinal, eles também fazem parte da família.
    Um beijo pra vc e boa sorte com seus lindos filhos (gatos ou não).

    • Rafaela Ganzenmuller
      Rafaela Ganzenmuller

      Querida, muito obrigada pelo seu comentário. Fico feliz que pense assim. Seus filhos (todos) agradecem!! Existe ainda muito preconceito com gatos né? Nosso trabalho é mostrar que precisamos pensar “fora da caixinha”. Muita luz pra vocês!!Um abração cheio de boas energias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *